Literatura, Resenhas

Resenha: A Rainha Vermelha – Victoria Aveyard

9 de outubro de 2016
Resenha: A Rainha Vermelha

Se me perguntarem qual o nível de paixão que eu tenho por personagens com poderes, não sei dizer bem. Mas a capa de A Rainha Vermelha, toda prateada e em alto relevo, me ganhou com facilidade. E foi assim que acabei com o livro de Victoria Aveyard na minha sacola da Bienal do Livro.

Claro que nem tudo são flores e, se você está pensando em ler essa trilogia, se prepare: o primeiro livro é muito – muito!wannabe Jogos Vorazes (Suzanne Collins). Tanto que eu pensei várias vezes em desistir. Ao longo da história, eu me deparei com mais situações que já tinham sido vividas por Katniss Everdeen. Então se você tem um problema com esse tipo de “situação”, não gaste suas economias. Mas se tá tranquilo, manda ver!

Resenha: A Rainha Vermelha - Victoria Aveyard O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.
Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho? Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe — e Mare contra seu próprio coração.

Como eu disse, se não fossem as semelhanças com Jogos Vorazes, eu teria curtido ainda mais A Rainha Vermelha. É claro que, eventualmente, vamos encontrar histórias que foram inspiradas umas nas outras. E não tem nada de errado nisso. Você gosta muito, tem uma ideia diferente e ok, saiu um livro. Isso aconteceu com Crepúsculo e 50 Tons e tem espaço pra todo mundo. Mas é tudo bem parecido mesmo!

Não vou entrar em detalhes, porque vou acabar dando spoilers, mas, como eu disse, se isso não te incomoda, então vale a leitura. A narrativa é tranquila, acho que, depois que eu desencanei das semelhanças e me dediquei mesmo a ler, devo ter levado dois dias, no máximo. Isso contando que eu só lia à noite, quando voltava do trabalho. Então é tranquilo mesmo.

E depois de A Rainha Vermelha, tem mais?

Estou cogitando comprar a continuação, Espada de Vidro, para ler no Kobo. Ele sai um pouquinho mais em conta e eu consigo levar para o trabalho, ler no ônibus (o livro físico me dá tontura no ònibus, o digital não… vai entender!). Vamos ver.

Pela página da Editora Seguinte, são cinco livros no total. Se eles saírem um pouco da sombra de Jogos Vorazes, a história tem um bom potencial (minha opinião, claro). Não seria um box que eu correria comprar, então vou decidir aos poucos se continuo ou abandono a saga.

Seja o que os deuses da literatura quiserem, né? ?

You Might Also Like

Nenhum comentário :(

Deixe seu recado